Propostas aceitas - XIX Congresso ABPI (outubro 2021)

TÍTULO DO SIMPÓSIO:

#italianoparatod@s: políticas, práticas e perspectivas do italiano no Brasil

PROPONENTES:

Cristiane Maria Campelo Lopes Landulfo de Sousa (UFBA) - cristianelandulfo@gmail.com

Daniela Aparecida Vieira (Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA) Perus I - São Paulo-SP) - daniela.apvieira@yahoo.com.br

PROPOSTAS ACEITAS (comunicações orais / pôster)

LITERATURA AFRO-ITALIANA PARA A TERCEIRA IDADE: REFLEXÕES E PERSPECTIVAS

Daniela Bunn (docente UFSC)
Agnes Ghisi (mestranda UFSC

Os desafios do ensino da língua italiana no Brasil não são poucos, mas alguns casos de possibilidade e liberdade de ensino podem ser encontrados em iniciativas como a realizada no Núcleo de Estudos da Terceira Idade (NETI/UFSC). No NETI, em 2019, o estágio da docente Agnes Ghisi, sob orientação da professora Daniela Bunn, teve como objetivo o ensino da língua italiana por meio da literatura, visando também o bem-estar e a participação ativa da pessoa idosa (BELLA, 2007). Pensar a pessoa idosa como alguém que continua se desenvolvendo e é capaz de aprender e expandir o próprio universo a partir da leitura como um prazer (BALBONI, 1994) foi um dos objetivos e a motivação maior do estágio. Procurou-se trazer para o debate em sala de aula, da turma de italiano, nível iniciante, questões socialmente relevantes que estimulassem um olhar sensível e plural a partir da literatura, em particular, para o caso da escritora italiana Igiaba Scego e seu romance La mia casa è dove sono (2010). Partindo da leitura de um capítulo da obra, foram propostas discussões que abordassem o tema da memória, da imigração e do reconhecimento das culturas de origem africanas, no caso em específico, somali. O ensino da língua italiana permitiu um diálogo multicultural em que tensões do cotidiano brasileiro puderam ser encaradas a partir do (con)texto italiano. Pretende-se refletir sobre as questões interculturais que surgiram dessa experiência (MENDES, 2015), como essa temática foi recebida pelos idosos, como o ensino de italiano para a terceira idade apresenta uma caraterística emancipatória, além das possíveis estratégias de enfrentamento de suas peculiaridades que contribuem para o entendimento e o reconhecimento deste contexto educacional.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino-aprendizagem, Língua italiana, Terceira idade, Literatura afro-italiana

REFERÊNCIAS:

BALBONI, Paolo E. Didattica dell’italiano a stranieri. 5ª ed. Roma: Bonacci, 1994.

BELLA, Maria Angela Araujo Gobbis Della. O ensino de idiomas para a terceira idade: enfoque específico no ensino de língua italiana. Dissertação (Dissertação em língua e literatura italiana). USP. São Paulo, 2007.

MENDES, E. A ideia de cultura e sua atualidade para o ensino-aprendizagem de LE/L2. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 1, n. 2, p. 203–222, 2015. DOI: 10.29051/el.v1i2.8060. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/8060.