Propostas aceitas - XIX Congresso ABPI (outubro 2021)

TÍTULO DO SIMPÓSIO:

#italianoparatod@s: políticas, práticas e perspectivas do italiano no Brasil

PROPONENTES:

Cristiane Maria Campelo Lopes Landulfo de Sousa (UFBA) - cristianelandulfo@gmail.com

Daniela Aparecida Vieira (Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA) Perus I - São Paulo-SP) - daniela.apvieira@yahoo.com.br

PROPOSTAS ACEITAS (comunicações orais / pôster)

#ITALIANOPERTUTTI/#ITALIANOPARATOD@S: EM DEFESA DA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO PLURILÍNGUE NO BRASIL

Cristiane Landulfo (docente UFBA)
Daniela Vieira (doutora USP/CIEJA)

Esta comunicação visa apresentar um projeto, em desenvolvimento, que nasce da necessidade de combatermos a elitização do ensino de línguas no Brasil. Como se sabe, em nosso país, devido à enorme desigualdade social que o caracteriza, o acesso a outras línguas, muitas vezes, restringe-se àquelas cujas condições socioeconômicas lhes permitem pagar por cursos privados, oferecidos em escolas particulares e em institutos de idiomas. Além disso, a escassez de documentos curriculares referentes ao ensino-aprendizagem de línguas no Brasil dificulta a visibilização e a valorização das diversas línguas. O documento Diretrizes Curriculares Nacionais para a Oferta de Educação Plurilíngue (Parecer CNE/CEB nº2/2020), por exemplo, embora contenha, em seu título, as palavras “nacionais” e “educação plurilíngue”, desconsidera a variedade de contextos em que a educação bi/multilíngue se faz presente no Brasil, colocando em posição de superioridade uma única língua: o inglês. Trata-se, portanto, de um documento que hierarquiza as línguas, em vez de valorizá-las igualmente e de propor a aprendizagem de línguas como um direito de todas as pessoas.  Por defendermos o acesso a línguas estrangeiras/adicionais como um direito de todos, e não como um privilégio da elite, almejamos com este trabalho, promover ações que viabilizem o ensino da língua italiana em diferentes contextos educacionais, em especial, na educação básica, o verdadeiro lugar de aprender línguas estrangeiras/adicionais (PNLD, 2011, p. 11). Assim como o movimento #ficaespanhol, pretendemos, com o apoio de pesquisadoras, pesquisadores e docentes de instituições brasileiras, garantir visibilidade ao italiano e tornar o acesso a essa e a outras línguas uma política pública de democratização do ensino-aprendizagem de línguas no Brasil. 

PALAVRAS-CHAVE: ensino-aprendizagem de italiano como língua estrangeira/adicional, plurilinguismo, democratização

REFERÊNCIAS:

BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Oferta de Educação Plurilíngue. 2020.

__________. PNLD:– guia de livros didáticos –Ensino Médio/ Ministério da Educação – Secretária de Educação Básica – SEB –Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretária de Educação Básica, 2011.